16 de janeiro de 2020

A Louca dos 100 lugares

(MultiArte no Centro de Arte Calouste Gulbenkian, com Lucas, Paulo e foto tirada por Thainá)

Início de 2019, comecei pela segunda vez o projeto de visitar 100 lugares em 1 ano!
Já tinha feito e concluído esse desafio em 2018, quando tomei coragem para sair de casa depois de tanto tempo reclusa. Foi graças à Claudia Hi, criadora do projeto, que dei início às minhas aventuras!
Visitei 100 lugares em 2018, clique aqui para ver a listinha de 2018 e as regras do projeto, caso queira participar!

Então 2019 bateu a vontade de fazer novamente, porém tive muitos obstáculos pelo caminho, minha saúde física e a minha saúde psicológica não estavam em boas condições. Não consegui completar os 100 lugares, mas completei 72, ou seja, eu já fico feliz por ter passado mais da metade da meta, e que só faltaram 28 lugares. Foi divertido, sempre tem sido, por isso pretendo repetir o projeto em 2020. Logo terei conhecido o Rio de Janeiro inteiro huahua. Veja aqui a listinha de lugares que fui em 2019.

(Exposição Caminhos Diversos, de Marco Figueiredo e Almir Reis, no Centro Cultural dos Correios RJ, foto tirada por Biel)

Aprendi mais a me localizar, sei quais ônibus pegar para várias partes do Rio, consigo me encontrar quando me perco, me sinto à vontade nos museus e praias, me sinto mais presente nos locais que visito.

11 de janeiro de 2020

Aquarela, papel e tecidos #366nuncas


Semana passada comecei o projeto 366 nuncas! Onde me proponho a fazer uma coisa nova por dia durante 2020! Veja mais sobre o projeto aqui.
Como combinado, farei um post todo sábado contando o processo da semana, enquanto que no instagram postarei diariamente.

Dia 5, finalmente aprendi a dobrar origamis! Nunca tinha tentado, nem quando era pequena. Meu namorado me ensinou a fazer um navio de duas chaminés, um sapinho que pula, um tsuru, e um coração que não está na foto porque ficou super torto ahaha.


Dia 6, como não estou podendo sair de casa por causa da saúde, resolvi assistir a um filme de um país que não tinha visto ainda. Já vi vários filmes de várias nacionalidades, mas não do mundo todo. Abri uma lista de países, depois abri um site sorteador de números e na sorte veio a Nigéria. Logo encontrei um filme de terror disponível na Netflix: Araromire. Conta a história de uma divindade que pediu para ser esculpida em uma árvore amaldiçoada, ela dava bênçãos por sete anos para quem a tocasse, tudo prosperaria, porém depois desse período viriam sete anos de maldição e miséria. A tribo que a esculpiu a queimou, porém cerca de cem anos depois, uma dupla de estudantes de arqueologia a encontraram.

8 de janeiro de 2020

Sou o hulk rosa


As pessoas dizem que aparento ser calma e paciente. Entretanto, dentro de mim habita um monstro de estresse e impaciência. Eu não entendo como posso transmitir tranquilidade, se meu ser arde em irritação por qualquer coisinha. Enumerar as coisas que me deixam com raiva pode ser infinito, porém nem eu teria paciência de escrever tanto!

01. Pessoas andando devagar na calçada estreita, no centro da cidade. Eu fico me perguntando onde foi parar o bom senso de quem anda lento em um local cheio de gente apressada. Eu costumo andar depressa, principalmente em local cheio, pois quero sair dali o mais rápido possível. Entendo quando é alguém idoso, criança e outras pessoas com mobilidade reduzida. Minha raiva vai diretamente à quem anda devagar sem necessidade, atrapalhando todo mundo. É pior quando andam em bando e enchem a calçada toda.
02. Tenho o costume de comer em casa assistindo algo no celular e usando fones de ouvido, pois tenho nervoso de ouvir pessoas mastigando. Me dá nos nervos, principalmente se estiver mastigando de boca aberta. Em locais públicos ou na casa de outras pessoas, eu costumo respirar fundo e tentar me concentrar em diversas coisas.

03. Eu fico extremamente estressada vendo pessoas maltratando animais, seja pessoalmente, seja em vídeo. Tenho vontade de enforcar a pessoa, tenho vontade de dar uma paulada na cabeça dela. Me dá muita raiva ver cavalos sendo maltratados, gatos, cães, aves enjauladas, todos os animais. E apesar de ainda consumir carne, industria esmagadora em maus-tratos à animais, eu tenho conseguido reduzir a quantidade semanal, e tenho procurado alternativas.
04. Se quer me ver com raiva, me bota no calor excessivo. Locais quentes me irritam com facilidade. Não gosto de usar roupas, então já fico incomodada por não poder ficar sem camisa, fico suando demais, derretendo. Ironicamente, eu moro na cidade do Rio de Janeiro.
05. É necessário transitar pela cidade, e como não tenho recursos para andar de uber o tempo todo, eu pego ônibus por necessidade, e me estresso facilmente com o transporte público lento. Os ônibus do meu bairro são especialmente lentos, demoram um milhão de anos apenas para chegar nos lugares. Bicicletas andam mais rápido!
06. Estou procurando algo e não encontro. Pronto, estou estressada. Isso acontece com frequência, porque minha mãe e minha irmã pegam coisas do meu armário e não botam no lugar de volta, então quando eu vou procurar, não encontro e perco a paciência, já que os objetos somem e elas nem avisam que pegaram. Eu jogo as coisas para o alto, para o chão, não encontro e fico frustrada. 

07. Vejo alguém jogando papel de bala no chão, alguém deixando copo descartável na areia da praia, alguém jogando latinha de refrigerante para fora da janela do carro. Fico com muita raiva vendo pessoas  jogando lixo no chão. São pessoas porcas e sem educação nenhuma. O que custa andar mais um pouquinho para jogar o lixo na lata?
08. Sou alérgica à picadas de insetos, então quando vejo mosquito voando perto de mim, minha raiva atinge um grau tão intenso que eu ativo o modo assassina, meus reflexos ficam mais rápidos e meu objetivo é eliminar no tapa.
09. Por incrível que pareça, eu sou uma pessoa introvertida e tímida, então levo um tempo para me abrir com alguém e para me sentir à vontade. No início sou bem quieta, e vou me soltando depois. Pessoas extrovertidas não entendem isso e me enchem o saco, perguntam: "por que você não fala tanto?", "você não fala muito, né?", e o pior de todos: "nossa, ela fala bastante hahaha" com tom de ironia. Eu viro o hulk, tenho vontade de perguntar: "nossa, você nunca cala a boca, né?", "você sempre falou tanto assim? é para não ouvir os próprios pensamentos??". Se eu demorei a me abrir com você e não falo tanto perto de ti, é porque não estou me sentindo à vontade com você
10. Se quiser me deixar com raiva e ainda levar esporro, conte piadas carregadas de preconceito e discriminação perto de mim. Eu não acho graça, tenho raiva de quem acha graça, e tenho mais raiva de quem conta esse tipo de piada.

Já está bom haha e o que te deixa com raiva?

20. Faça uma lista de coisas que te deixam com raiva
http://bruna-morgan.blogspot.com.br/p/642-coisas-sobre-as-quais-escrever.html

4 de janeiro de 2020

O projeto 366 nuncas


Eu soube desse projeto faz dois anos, e quem me conhece sabe que amo desafios pessoais!
A Elisa Mendes e a Steffania Paola criaram o 365 nuncas, em que elas fizeram uma coisa diferente a cada dia do ano!
Agora em 2020 resolvi arriscar e participar, adicionando um dia por causa do ano bissexto. Familiares, amigos e meu namorado já deram sugestões de coisas que posso fazer pela primeira vez!
Projetos que me incentivam a sair da cama, e principalmente a experimentar novidades, me ajudam a lidar com a minha depressão. Sinto-me empolgada!

Atualizarei todo sábado aqui no blog, aqui a listinha, mas nos stories do meu instagram postarei diariamente!


Janeiro começou pontual. Dia 1 fiz meu primeiro pudim. Estava com medo de ficar ruim. Minha mãe me ensinou, mas no meio do processo o gás acabou. Era ano-novo então não tinha estabelecimento aberto para entregar botijão de gás, o jeito foi tentar fazer no fogãozinho elétrico de uma boca. Horas se passaram, meu namorado chegou, já estava de noite e nada do pudim ficar pronto. Tivemos então a ideia de "invadir" a casa da minha avó e usar o forno dela. Ficou pronto, mas só fomos comer no dia seguinte, e estava delicioso! Foi devorado no mesmo dia!

1 de janeiro de 2020

Minha trajetória artística até então!


É engraçado que eu só consegui enxergar o tanto que caminhei, após ter colocado tudo no papel e relembrado cronologicamente. Costumo me subestimar e achar que não faço o suficiente, porém é nítido o meu crescimento artístico, e como consegui calar a boca de quem já me falou para desistir.
Fiz um compilado desde 2010 para fechar a década. E ter para onde olhar e me inspirar quando achar que não sou boa o suficiente.
Espero que gostem e obrigada por tudo!

Separei a retrospectiva artística da retrospectiva pessoal, que pode ser lida aqui.

(2010)

Em 2010, nos meus 16 anos, eu estava focando mais em escrever histórias do que desenhá-las. Foi o mesmo ano em que comecei esse blog. Gostava de desenhar coisas estranhas e meio feias. Criaturas esquisitas sempre tiveram espaço em meu coração! 
Eu desenhava nas paredes de casa, principalmente na parede ao lado da minha cama.

(2011)

Tinha acabado de baixar o Corel Draw, tentava aprender enquanto criava personagens. Minha inspiração de humor naquela época era o Liniers, porém eu escrevia mais do que desenhava.
Engraçado que eu vivia desenhando quando mais nova, porém depois dos treze anos fui diminuindo até parar.
© Bruna Morgan | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.