Minha memória é um jardim selvagem cheio de duendes.

Facebook  |  Instagram  |  Tumblr  |  Twitter As pessoas ao meu redor sabem que sou esquecida, não faço de propósito. Eu sou traída ...


As pessoas ao meu redor sabem que sou esquecida, não faço de propósito. Eu sou traída pela minha própria memória, por isso ando cheia de papéis de anotações, e tenho blocos de notas no celular e no meu computador, onde anoto uma porção de coisas. E obviamente, me esqueço das anotações.
Talvez alguém tenha implantado o cérebro de alguém idoso em mim, como um experimento científico, por isso minha memória é tão falha.
Eu sinto que a minha memoria é um jardim selvagem cheio de duendes, não sei o que há lá dentro, o que me aguarda atrás de cada arbusto. A mata é densa e maior do que eu, e perdi o meu facão no caminho.
Ela funciona com flashes de imagens e fragmentos de conversas, cenas que vão ficando cada vez mais nubladas se eu não relembrá-las sempre. Talvez seja por isso que eu preze tanto em escrever e fotografar os momentos. Se eu não fizer isso, sinto que deixarão de existir nos confins de minha mente.

Tenho um amigo de infância que voltei a me comunicar. Ele me disse que há uma lembrança sobre mim que o agrada muitíssimo. Foi quando estava chovendo bastante e eu dei a minha capa de chuva para ele. Devíamos ter menos de onze anos de idade. Eu lamento muitíssimo por não ter essa memória em mim.

Por outro lado, há lembranças e pedaços da minha vida que guardei em baús e os soldei. Sei disso porque faltam fragmentos de alguns anos, como se uma peça tivesse sido roubada. Um dos mil baús se abriu certa vez, quando eu estava conversando com o Brunno, uma das pessoas mais importantes para mim, e pude lembrar de conversas, e-mails, pensamentos e reflexões que eu havia bloqueado, e que respondem muitas das minhas questões atuais sobre quem eu sou.

Minha memória é um territorio que me é desconhecido, e eu temo que já tenha me perdido dentro dela.

You Might Also Like

15 comentários

  1. Amei o texto.
    Me identifiquei de mais, eu também não tenho as melhores memórias, não me lembro de quase nada da minha infância, mas como você, tenho certas lembranças trancadas em baús.

    Beijos!
    sentimentos-de--uma-garota--bipolar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. algumas memórias nos escapam porque simplesmente nao significaram nada para a gente; ter dado a capa de chuva foi uma gentileza, mas para o seu amigo foi (talvez) um ato benevolente além da expectativa?

    eu me pego pensando nisso, ultimamente...

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei de mais, eu tenho um memória péssima, não me lembro de muitas coisas da minha infância, só alguns borrões de imagens.

    Beijos!!
    visao-distorcida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Texto lindo, minha memória também é péssima meu Deus kk, beijos <3
    http://meninachilli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Uau, confesso que não vejo muitos posts de textos assim. Acho muito legal porque pode até ajudar as pessoas e pode servir como um desabafo pro escritor.
    Gostei bastante!
    http://jessycak.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. uma delícia ler esse seu texto! <3 fui lendo e me identificando em vários detalhes!

    beeeijo :**

    ResponderExcluir
  7. Gosto tanto do seu jeito de escrever ❤
    e que gesto legal você teve com seu amigo de infância... Talvez ele lembre porque guardou essa lembrança com carinho, por conta do gesto! Agora você não tenha guardado com tanto carinho assim, talvez só foi um gesto feito na infância e pronto :s

    kkk enfim, só tenho uma coisa pra dizer: SEMPRE TENTO MATAR O INSETO DO SEU GIF! SEMPRE.
    KKKKKKKKKKK assim q vejo logo vem na mente "q fdp no meu monitor... pera ai q vou esmagar" ai me dou conta q é um GIF

    www.apequenaka.com

    ResponderExcluir
  8. Babe, eu me perco nos seus textos, mas num bom sentindo, sabe? Você escreve tão bem, com tanta poesia... Enfim, elogios a parte, eu também gostaria de me lembrar de coisas que as pessoas chegam para mim e dizem que lembraram e olha que eu tenho boa memória, hein?

    Beijão, Bru e amei o post, de verdade!

    Supimpa Girl

    ResponderExcluir
  9. Acho que existem pessoas que prestam mais atenção nos detalhes e aquelas que vivem mais distraídas, passando pelas coisas da vida sem se prender, livremente.
    São características. Nenhuma é melhor que a outra.
    Sabe qual é a parte boa de ser esquecida? Vai sempre escutar as histórias com o mesmo entusiasmo de como se fosse a primeira vez.

    Beijos
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
  10. Já pensou em fazer regressão e cavucar as memórias que você perdeu? Eu sempre tive uma boa memória, mas tenho percebido que elas estão cada dia piores. Não sei se é a cabeça que está ficando ruim ou se os dias são tão corriqueiros e comuns que o cérebro pensa 'ah, isso daí?vou nem registrar'.

    T E N S O .


    beijo meu,
    Mafê.

    ResponderExcluir
  11. Olá Bruna!
    Cada vez mais apaixonada pelos seus textos! Adoro sua escrita.
    Minha memória também não é lá essas coisas de 120GB... Guardo o que meu cérebro permite -risos- o teu modo de descrever a sua memória foi incrível! Um jardim com vários duendes *-* Continue escrevendo para a gente!

    -Kissus-
    Visite: www.wtdarkside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Texto lindíssimo. Acredito fortemente que muitaspessoas se identificaram...
    Com o passar do tempo, parece que nossas memórias mais especiais, as mais simples, vão se esvaindo... É um exercício tão difícil reviver alguns momentos puros passados com pessoas que outrora foram nossos melhores amigos, familiares mais chegados, e que, no momento, podem não ser mais do que rostos desconhecidos. Triste fato ;/
    Blog Insaturada
    Facebook
    Instagram

    ResponderExcluir
  13. sinto o mesmo em relação a minha memória. eu me recordo de coisas aleatórias, mas me esqueço de muitas coisas importantes. acho que tenho que registrar tudo, sempre, ou daqui alguns anos só deus sabe o que ela vai me permitir lembrar, haha.

    ResponderExcluir
  14. É sempre adorável ler seus textos por aqui! A memória é uma coisa muito louca, a minha me ajuda bem no dia a dia, mas, de memórias, aquelas longas que as pessoas costumam rememorar de anos longínquos, ah, essa sempre falha. Acho que a mente humana é por si só um verdadeiro enigma e gostei muito do modo como você descreveu essa relação complicada com a própria memória! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  15. "Talvez seja por isso que eu preze tanto em escrever e fotografar os momentos. Se eu não fizer isso, sinto que deixarão de existir nos confins de minha mente."

    Penso que deve ser até meio mágico o momento que você lê os textos, olha as fotografias e recorda esses momentos, como se acendesse uma luz no porão das memórias. É assim que te acontece?

    Eu acredito que tenho uma memória muito boa, me recordo de cenas da infância, de acontecimentos, pessoas, nomes, shows e momentos muito fácil. O lado ruim é que guardo umas coisas que não deveria comigo também, como mágoa e rancor :/ Mas estou seguindo e tentando melhorar hahaah.

    Beijos.

    ResponderExcluir

;D