5 coisas boas que marcaram a minha infância.

  Facebook  |  Instagram  |  Tumblr  |  Twitter Eu sou uma pessoa muito nostálgica, gosto de lembrar do meu passado, até das coisas r...


Eu sou uma pessoa muito nostálgica, gosto de lembrar do meu passado, até das coisas ruins e vergonhosas. As minhas memórias preferidas são da infância, mesmo que eu não me lembre de tantas. Aqui listei cinco coisas boas que me marcaram quando era pequena.

1. Assistir filmes com a minha irmã.
Desde os meus 10 anos, eu e minha irmã chegávamos da escola e ficávamos sozinhas até o final da tarde, pois a minha mãe estava terminando o colégio. Como éramos crianças de ficar em casa e no quintal, nossas tardes mudaram quando descobrimos o canal da HBO. Era o mesmo esquema, chegávamos da escola, botávamos o almoço para esquentar no microondas, brincávamos um pouco e então de tarde chegava a hora dos filmes.
Pegávamos vários lanches e enchíamos as nossas garrafinhas de suco de guaraná. Apagávamos as luzes e pronto. Era só botar no canal e ficar assistindo filmes até o anoitecer.
Todos eram legendados, então tínhamos mais um motivo para aprender a ler melhor e com mais rapidez.
Foi nessa época que começamos a ver filmes indies e cults, filmes mais profundos e densos. Ficávamos com uma sensação esquisita depois, mas adorávamos isso.

2. Brincar no quintal.
Brinquei no quintal de casa desde bebê até os meus 9 anos. 99% da minha infância se passou ali, brincando com minha irmã e com minha prima, além de amiguinhas da vizinhança.
Eu ficava brincando até em dias frios, e até ficar bem tarde. Voltava para casa na hora do lanche e depois sumia. Inventei muitas brincadeiras e também fiz várias fogueiras escondida dos adultos, roubando os fósforos da minha bisavó.
Eu fingia que era ninja, fingia que era um monstro, professora, espiã, assassina. O quintal naquela época parecia gigantesco, mas hoje em dia só dou cinco passos e já chego no portão.

(Os Retirantes, 1944)

3. Cândido Portinari.
A terceira escola que entrei e fiquei do jardim de infância III até a quarta-série foi a Escola Municipal Cândido Portinari. Homenageando o artista plástico, ouvíamos um pouco sobre a vida dele durante a aula, além de uma pequena excursão pelos corredores, onde cópias de várias de suas obras estavam emolduradas.
Eu me lembro do forte impacto que Cândido Portinari me causou, não é à toa que ele foi meu primeiro pintor favorito. Sua obra que mais me fascina é Os Retirantes, da foto acima.
Cândido Portinari nasceu em SP, em dezembro de 1903, e faleceu no RJ em 1962.
Ele estudou Belas Artes na UFRJ, creio eu, que ficava no Centro do Rio antigamente.

4. Meu bonde do colégio.
No Cândido Portinari, eu tinha um grupinho de amigos formado por eu, Emerson, Thaynara, Israel, André, e nossos irmãos mais novos. Éramos os mais velhos da escolhinha, e todo mundo achava a gente legal. Lembro que era divertido correr a ladeira em alta velocidade, e também de explorar o morro esverdeado. Sinto saudade de todos.

5. Luísa.
Ela era minha amiguinha, passava várias tardes na casa dela. Além disso, ela foi meu primeiro amor.
Não me lembro como nos separamos, acho que a mãe a levou para morar com o pai. Nunca saberei.

~
BEDA é um projeto entre blogueiros que consiste em blogar todos os dias de de abril. Para ver os posts do BEDA, é só clicar aqui na tag.

You Might Also Like

9 comentários

  1. Eu amo a praticidade e tranquilidade de se morar em apartamento, mas agradeço por ter tido a oportunidade de viver toda a infância numa casa com quintal. Boa parte das minhas memórias também vieram daí, incluindo alguns tombos e até um dia de São João que eu, meus pais e meu irmão assamos milho numa churrasqueira improvisada, acredita? Até um pé de maracujá a gente inventou de ter.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
  2. Oi! ❤️ Eu amei cada tópico dessa postagem, é tão verdadeiro o que você escreve. Lembrar-se da infância pode proporcionar muita nostalgia de um tempo que sabemos que não irá voltar, então é um pouco doloroso para mim. E sim, assistir filmes com as minhas irmãs também é uma coisa que marcou muito essa minha fase infantil.

    Bem, eu estava de passagem por aqui e vim deixar o meu comentário para te dizer que compartilho do mesmo amor e admiração sobre o Cândido Portinari. Fiquei muito feliz em saber que estudou em uma escola que levava o nome do artista. Meu coração bateu forte ao ver a obra Os Retirantes por aqui.

    Então deixa eu te contar uma história curiosa: Estava eu, no MASP, passeando tranquilamente admirando algumas obras de arte... "Olha só, mãe, uma obra do Adir Sodré". (Ele é um artista de grande influência em minha cidade). Então eu vi mais algumas obras e quando dei um passo para o lado... PÁ! Estava lá. Os Retirantes. Era muito maior do que eu imaginava. Era muito melhor do que nos livros de história. Não aguentei. Tapei a mão com a boca e chorei (eu parecia mesmo uma criança chorona, mas whatever). Ajoelhei porque não aguentei ficar de pé de tão emocionada, sem me importar com o que as pessoas estavam pensando, e observei a obra de baixo. Eu parecia tão pequena, tão insignificante se comparada ao que estava retratado em minha frente. E foi uma das melhores sensações da minha vida, se você quer saber, haha. E foi inesquecível, porque vira e mexe minha mãe me lembra desse vexame que eu passei na frente de algumas pessoas, mas eu realmente não me importo e, de qualquer forma, fico feliz por ter tido esse momento.

    Eu tive quase a mesma reação aos 12 anos quando vi pela primeira vez uma obra de van Gogh pessoalmente. Sim, essa sou eu e por causa de sensações como essa que às vezes penso que a vida vale a pena. Até mais, Bruna! 😊

    ResponderExcluir
  3. Oi, como vai?
    Ótimas coisas que marcaram sua infância hein.
    Acho que dessas coisas que você citou, a única que também marcou a minha, foi assistir filmes com minha irmã rsrs.

    Beijos!
    visao-distorcida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá Bruna!
    É tão bom ler sobre você! Esse projeto BEDA é uma benção no seu blog!
    Eu não tinha muitos amigos como você, pois eu era uma menina muito tímida :/
    Entretanto, minha infância é boa (as partes que eu lembro). Eu assistia Sessão da Tarde, pois meus pais não pagavam tv à cabo, infelizmente, e adorava assistir os filmes e posteriormente brincar de ser os personagens. Ah eu fazia um bagunça na casa e dava uma de atriz -risos-
    Sempre morei em apartamento e os únicos quintais da minha infância são das duas casas que meus avós moraram. Eu adorava brincar neles e realmente quando nós somos crianças tudo parece maior :3
    Que fofura! Meu primeiro amor foi com 12-13 anos por um menino meio babaca meio fofo... Não sabia decidir -risos- Mas esse tópico me fez lembrar do filme Tomboy pelo amor inocente entre as atrizes! Como aquele filme é lindo e passar uma mensagem que nos faz refletir!

    -Kissus-
    Visite: www.wtdarkside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nossa eu sinto muita falta de chegar em casa tomar aquele cafezão e ficar no puff com minha irmã vendo filme. Era muito legal também fazer várias brincadeiras no patio. O meu tinha uma parreira e quando alguma uva caía eu fingia que estava na guerra e as uvas eram granadas UEHUSHE.
    http://atdaytime-crazyatnight.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu sempre tenho esses momentos de nostalgia kkkk quer saber ... é um maximo!!! Podermos lembrar como vc mesma disse coisas boas e ruins... micos e momentos que nos trazem um carinho no coraçao indescritivel.... adorei seu post

    ResponderExcluir
  7. Bru, que post mais amor, socorro!<3
    Gente, que lindo isso do seu primeiro amor. O meu primeiro amor foi um menino da minha sala.

    Beijão, babe

    Supimpa Girl

    ResponderExcluir
  8. Que post mais amorzinho! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA tenho muitas memórias boas da infância e nossa como é bom ser criança, saudade imensa e nem faz tanto tempo assim HAHAHAHAHAHAHA Amei demais esse post, posso fazer também e linkar seu blog?
    Skyscrapers

    ResponderExcluir
  9. Brincar no quintal <3 tive um infância muito bacana subindo em árvore e conhecendo cata cantinho e plantinha do quintal, a horta da vó.
    Muito especial. Uma pena que muitas crianças não tem essa chance hoje em dia.

    Lindo post!

    Um beijo*

    ResponderExcluir

;D